terça-feira, 6 de setembro de 2011

Mais uma casinha de boneca

Essa fiz com uma caixa de frutas que peguei num supermercado. Cobri com tecido de decoração, a parede fiz com papel de presente. Preciso resolver melhor esse piso do meio que não aguenta muito peso, estou procurando um papelão mais resistente...

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Casa de Boneca




Fazia tempo que eu queria decorar essa casinha. Ontem foi o dia. As peças estão fixadas com fita banana, pra quando dona Moranguinho quiser redecorar, ficar tudo bem fácil.


No quarto, cortina de renda, puf, brinquedos, gaveteiro, tecido fazendo as vezes de papel de parede. Tudo romântico e confortável.


No banheiro, cortina de perfex, banheira de copo de isopor, pendurador de toalha de canudinho e a privada é uma conchinha...



Na sala, adesivos de vinil e arte naiff na parede.



Hum, cozinha despojada. Mas depois melhora!

E tem novelinha. Se quiser acompanhar, clica aqui!


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Bonecas, bonecas e um desejo!

Fui uma menina que gostava de bonecas. E tive bonecas inesquecíveis. Uma chapeuzinho vermelho, loira, de olhos claros, foi meu xodó durante muito tempo. Outra, que se chamava Queridinha. Um Pinóquio, de cabeça de plástico e corpo de pano feito por minha mãe. Uma Emília grande e uma outra, com roupa de camponesa que se chamava Sabrina, ambas feitas também por minha mãe. Teve a Rosinha, boneca de rosto lindo, mas de cabelos horrivelmente cortados por mim, mas que foi minha filha durante toda a infância. E ainda um bebê que tomava uma mamadeirinha de água e fazia xixi. E uma loira, sem nome, acho, que eu já adulta transformei numa boneca grávida. De todas as bonecas da infância sobrou um Fofolete que vive por aí.

Depois de adulta e já depois que minha filha nasceu ressuscitei meu amor por  bonecas. Bonecas de pano, em sua maioria. Depois, meu marido me deu de presente de Natal uma linda boneca de porcelana, enorme, praticamente intocável e que hoje mora na última prateleira da estante da minha biblioteca. Seu nome, Alice.

Gosto de, ocasionalmente, fazer bonecas também. Não são impecáveis como eram as que minha mãe faziam, mas têm lá o seu charme, sua personalidade. Sem falar, é claro, paper doll, com as quais me divirto e divirto minha filha, muito embora já há algum tempinho que não faço nenhuma (ah, essa vida corrida que eu levo).

Acho que o brincar de bonecas, ou o amor por bonecas, tem algo de mágico, como se fosse ela, a boneca, uma miniatura nossa, um duplo, ainda que muitas vezes esse duplo seja um oposto. Cada boneca, ainda que parecida com sua dona, tem sua própria personalidade. Umas são decididas, outras birrentas, outras afetuosas, outras independentes. Quem lembra como era brincar com elas?

Tudo isso pra falar sobre a boneca que venho desejando há tempos. Sim, é uma Blythe, aquelas bonecas estranhas, cabeçudas e "olhudas". Há tempos que as paquero blogosfera afora e acho que agora está bem próximo de ter a minha. Vai virar mascotinho desse blog, com certeza e virá com toda uma personalidade e história. É uma boneca para mulheres adultas, mas eu e a Nina já combinamos que brincaremos juntas e que ela será a madrinha da minha Blythe.

O modelo que eu quero é esse aqui, que se chama Nicky Lad. Mas não se espantem quando a minha for se modificando, pois a graça é costumizar...


Ai, ai, suspiros...

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Na cozinha com as crianças

Sempre que posso, levo os dois feijõezinhos pra cozinha. Eles adoram! Claro, cozinhar tem tudo de lúdico e criança adora mexer com coisas que se transformam.

Queríamos fazer cupcakes. É essa a moda aqui em casa agora. Deixamos de lado os insossos bolinhos industrializados e no lanche da escola só vai  agora"bolinho que fiz com a minha mãe". Mais saudável, de procedência conhecida e de boa qualidade, que a modéstia por aqui anda em falta hehehe.

 Então, queríamos fazer cupcakes e fomos atrás de uma receita. Não achamos na latinha (Caixa de Receitas/ Tartes e Bolos). Fui pra velha e boa internet e achei uma receita que é fácil e deliciosa. Ótima pra fazer com a criançada. Trata-se do bolo Peteleco com coco e brigadeiro, receita da Mixirica.

O segredo de levar crianças pra cozinha?

1. Organização;
2. Bom-humor;
3. Paciência.

E voilá!







terça-feira, 19 de julho de 2011

Vou ali e já volto...


Mini-férias!

Mais cozinhas...

Hum... Sei que estou correndo o risco de ser monotemática, mas é que voltei a pensar na minha cozinha com muita vontade rsrsrs

Mas vejam só que imagens inspiradoras (quero todas!!!)





1. Na primeira cozinha adoro o clima exuberante. Os objetos de decoração que passam uma ideia de deslocamento. Aliás, adoro o deslocamento.
2. Por falar em deslocamento, esse lustre é tudo! Quero um lustre na minha cozinha hehehe. E quero o constraste da parede rosa com a porta azul também.
3.A terceira cozinha é praticamente um santuário. E não é verdade que a comida é sagrada?
Então!!!
4.Quero essa parede também. Serão azulejos ou adesivos?
5.Essa cozinha rosa, meio Barbie, amei. Sim, tem um monte de referências em rosa aqui e quero sobretudo a geladeira e o fogãozinho de bonecas. Mas minha cozinha não é rosa rsrsrs
6.A última cozinha parece ser estreita como a minha. Mas tem uma luz que a minha não tem. Gosto sobretudo da luz dela e é isso que quero (o impossível, sempre).

Imagens:
1, 2 e 3: via Mukifu Chic
4, 5 e 6: via Home&Garden

terça-feira, 12 de julho de 2011

Cozinhas charmosas

Voltei! Muita coisa pra fazer, muito trabalho, demandas mil pra uma pessoa só. E quando falo nisso, sei que me entendem...

O meu projeto para a cozinha ficou parado nesse meio tempo também. Não lembro se comentei, mas minha cozinha é comprida e estreita. Duas pessoas trabalhando nela é quase um pesadelo. E nem tinha porque ser, pois há um espaço absurdo lá fora que, se o "desarquiteto" tivesse pensado, daria para uma cozinha bacana, tipo uau, mesmo. Mas fazer o quê, se achei a casa assim? Se ela fosse minha já tinha quebrado a parede limitadora...

Meu projeto de cozinha é mais modesto. É transformar aquele "corredor" num espaço com identidade. Os azulejos brancos, chapados, me incomodam. Então comprei vinil e estou fazendo uns recortes geométricos para compor dois pequenos painéis inspirados em Athos Bulcão (tô me achando né? hahaha). Tenho dois armários de metal bem retrô e que precisam de pintura, enquanto ela não vem eu vou enchendo de imãs. E vou colocando referências divertidas na cozinha. Um pinguim de geladeira (amo!), uma lousa com as bordas repletas de flores artificiais, livros de receita etc.

Quando eu terminar tento postar uma foto, é que além de tudo ela é escura, difícil mesmo de fotografar...

Enquanto isso, umas referências legais de cozinhas cheias de personalidade:







1. Nessa cozinha, adoro a cor, a mistura sutil de estampas, as panelas à mostra,  os objetos divertidos.
Via Mer Mag..
2. Mais uma vez a cor forte, os quadros, o retrô... Via d♥.
3. Hum, já deu pra sacar do que gosto não é? E viva a mistura que cozinha é lugar pra isso mesmo! Via d♥.
4.Ok, sei que essa é branca, mas foge do convencional porque as cores estão ali dentro dos potes e ainda tem os lindos objetos... Via Hello I'm Tiger